Saturday, September 05, 2009

Noites desertas


Por ruas escuras e noites desertas (frias)
grito o teu nome
Por aldeias abandonadas e vielas incertas (vazias)
grito o teu nome

Quando sinto mãos estranhas de lama que querem tocar-me (rezo)

Oiço as palavras que vomitam sobre mim para impressionarem-me

GRITO O TEU NOME (sinto)


wish you were here
to feel...you
erase the world
and paint on me


Corro as escadas acima e atiro as almofadas (partem-se)
chamo o teu nome

Esmurro paredes que não tem culpa de nada (sangram)
chamo o teu nome

Quase desmaio na banheira onde momentos parecem ser horas (sonho)

A espuma recorda-me a neve e faz-me rir... agora

MURMURO O TEU NOME (fico)


wish you were here
to feel...you
erase the world
and paint on me


Caio na cama a perdoar as almofadas (abraços)
murmuro o teu nome

A sentir-me não mais abandonada (cansaço)
chamo o teu nome

E faço das minhas mãos as tuas (quentes)

que deslizam sobre a pele...ainda molhada e nua

GRITO O TEU NOME (risos)


wish you were here
to feel...you
erase the world
and paint on me



1 comment:

gracices said...

Belisssimo rugido de dor... Gostei muito do texto. Senti-o verdadeiramente.