Monday, May 11, 2009

Nada de tudo...tudo de Nada - song



























Nada de tudo tudo de Nada



O excesso e a falta de sono ja nao me deixam saber(sabes tu?)

quando durmo ou quando estou acordada

como se o dia fosse noite e a noite dia fosse (as estrelas viram sois e o sol transforma-se numa única lua com a frieza da sua clareza)

sem saber mais nada


Nada de nada...Tudo de nada


Talvez ja nao me esqueço do que queria esquecer (eras tu?)

nem das noites em que passei acordada contigo ou sem ti,
dos momentos que vi morrer e nascer (Assim como beijos que nascem e morrem ao serem dados)

na noite q nasce apenas de madrugada

Nada de tudo ...tudo de Nada


O excesso e a falta de ti ja nao me deixam sentir (sabes tu?)

quando os beijos caem sobre mim como chuva a tentar penetrar a pele de minha alma (onde os arrepios fazem-me perceber a sua beleza)

e escorrem pelo corpo a transformar-se na lama das memorias passadas


Nada de nada... tudo de Nada


talvez ja nao me esqueço que o sol pode secar algumas gotas (eras tu?)

transforma-las em vapor para que eu as respire

como respirei um dia o ar de tua boca (neste dia a chuva era a musica e velas faziam de estrelas para nos)

transforma-las em beijos das memorias que ja nao esqueço


Nada de tudo...tudo de Nada


6 comments:

Anonymous said...

Às vezes o que penso ser dormir demasiado ou dormir pouco é talvez apenas um torpor que se instala à porta de entrada da noite a dar forma ao desejo; a projectar na tela branca dos sonhos pedaços de coisas que nunca saberei. Dorme, Haidji. Acorda, Haidji. E fá-lo não apenas porque sim, mas com vontade. Nunca interrogues os lábios da insónia.

Anonymous said...

Escorre sempre um beijo - aquele, O Desconhecido - de ti, de cada vez que tento abraçar um teu poema...

Anonymous said...

belissimo
:)

Anonymous said...

I don't understand but I like you

Anonymous said...

I also don't understand but
I love your photos and paintings

António said...

Belo,

Caracteristico da tua personalidade.

Sonhadora....